Dicas para começar a ter uma alimentação saudável

 

imagem 1 (1)

Meus queridos,

Finalmente, após muita insistência vossa e muita vontade da minha parte, vou dar-vos as melhores dicas para terem uma alimentação mais saudável, que podem servir para perderem os quilinhos que têm a mais, ou apenas para vos incentivar a adoptarem um estilo de vida com melhores hábitos.

Mas, antes de vos passar as minhas ideias sobre uma boa alimentação, quero esclarecer aqui um mito que confunde ainda algumas pessoas e que as leva a cometer grandes erros: os hábitos alimentares saudáveis devem ser adoptados por toda a gente, independentemente do seu peso. Pensar que só as pessoas mais gordinhas devem comer bem é um perfeito disparate, pois os males, como as doenças cardiovasculares, o elevado colesterol mau (LDL), a diabetes, etc., não escolhem peso nem idade. Por isso, quem ainda pensar que, lá por ser mais magrinho, pode andar a alimentar-se de pizzas e de lasanhas, está completamente errado!

Eu sei que o fruto proibido é sempre o mais apetecido, neste caso, os alimentos que nos fazem mal são os mais saborosos. Mas está mais do que provado que há um conjunto de opções, também muito boas para o paladar, que fazem milagres pelo vosso organismo e que são essenciais num hábito de vida saudável:

Alimentos naturais

Os alimentos naturais, como o peixe (sem ser de cativeiro), a carne (de pasto livre), os frutos e os legumes (cultivados sem componentes químicos), são aqueles que devem privilegiar. Sempre! São os que melhor fazem ao nosso corpo, têm uma carga muito, muito baixa de hidratos de carbono e fornecem-nos as fibras e as proteínas necessárias para viver de modo saudável. Os ovos também podem incluir-se neste ponto, desde que as galinhas sejam criadas ao ar livre.

Alimentos sem aditivos

Os aditivos químicos abundam nos supermercados, basta olharmos para os rótulos para o comprovar. São maioritariamente usados para alterar a composição dos alimentos, ou para que tenham um melhor sabor e aparência, ou para que se aguentem semanas e semanas sem se estragarem. E isso é péssimo: engordam, provocam vários problemas de saúde (digestivos, gástricos ou intestinais), para além de nos conduzirem a muitas doenças. Assim sendo, o melhor que têm a fazer é fugirem do glúten (que é muito mau para o organismo) e também de todos aqueles produtos que têm as chamadas bruxarias: aqueles nomes estranhos, muitos deles acabados em “antes” (corantes, edulcorantes, conservantes, aromatizantes, estabilizantes, emulsificantes…) e em “ose” (lactose, dextrose, maltose, sacarose, frutose…), sendo que, estes últimos, correspondem todos a um grande vilão, o açúcar.

Alimentos de origem biológica

Pode ser bem mais cara, é verdade, mas é uma das melhores escolhas. O facto de ser biológico obriga a que os alimentos sejam cultivados em campos sem nenhum tipo de componentes químicos nem transformações na sua composição. São alimentos sem quaisquer elementos nocivos ao organismo, o que faz com que sejam mais caros, mas, em compensação, muito mais saudáveis. No entanto, há alguns que nos provocam dúvidas: por exemplo, o milho é ainda um alimento que gera controvérsia, pois ainda não está provado que aquele que nos chega aos supermercados não é cultivado de modo transgénico (modificado geneticamente). Conselho: se não conseguem suportar uma alimentação totalmente biológica, optem por alguns produtos, principalmente pelos que vos pareçam ser de um cultivo duvidoso. Comprem-nos, por exemplo, nas lojas Celeiro.

Alimentos pobres em gorduras trans

Por fim, não podia deixar de referir que os alimentos ricos em gorduras trans são outros grandes malfeitores e que nos fazem tanto mal, mas tanto mal, que podem condenar o nosso corpo por muitos anos. A gordura trans é uma gordura sólida, a preferida na fabricação de alimentos industrializados, formada por um processo químico chamado hidrogenação, que deixa os alimentos muto saborosos e bem mais apetecíveis ao nosso paladar, tornando-se, muitas vezes, em alimentos altamente viciantes. Falo do fast food, das bolachas, dos bolos, dos gelados, das batatas fritas de pacote e semelhantes, dos salgados, etc. Não quero com isto dizer que deixem de comer, para sempre, este tipo de alimentos, mas que reduzam, em muito, o seu consumo.

Optar por um estilo de vida equilibrado pode custar ao início, mas pensem nas grandes vantagens que o mesmo acarreta. E saibam também que o vosso paladar, mesmo que estranhe estes bons alimentos, vai alterar-se, adaptando-se aos novos sabores e aceitando-os gradualmente.

Espero que vos tenha realmente ajudado e que possa fazer a diferença nas vossas vidas. Desejo-vos toda a força deste mundo, caso comecem esta nova etapa, e, sempre que precisarem de uma motivação extra, aqui me têm!

1 beijinho

Alimentos indicados para diabéticos

imagem 7

Meus queridos,

Hoje a minha publicação é sobre um tema que não é muito agradável, a diabetes, mas sinto que tenho obrigação de vos falar disto, até porque esta é uma doença que ataca cada vez mais as crianças e os jovens portugueses, e que pode estar a rondar a vossa vida, caso não tenham o estilo de vida mais adequado.

Todos já devem ter conhecimento de que a diabetes deriva de uma hiperglicemia, ou seja, de valores muito altos de glicose no sangue. Simplificando, a diabetes dá-se quando existem valores demasiado elevados de açúcar no sangue e quando os níveis de insulina não são suficientes para combatê-los. Quem já nasce com uma considerável falta de insulina, ou começa a ter essas falhas na infância, tem a chamada diabetes tipo 1. No entanto, quem a desenvolve já na fase da adolescência ou mesmo na fase adulta, devido a um mau estilo de vida, a maus hábitos alimentares (excesso de açúcar e de fast food), ao sedentarismo ou à obesidade, tem a chamada diabetes tipo 2. Comparando estes dois tipos de diabetes, que se consideram como os mais comuns, pode dizer-se que a diabetes tipo 1 é a mais complicada de tratar, pois obriga a uma injecção de insulina todos os dias, até ao fim da vida. A diabetes tipo 2 pode também obrigar a este tratamento, dependendo dos casos, mas pode ser tratada apenas com uma extrema alteração dos hábitos de vida.

Porém, em ambos os casos, existe uma obrigação: a adopção de uma alimentação muito saudável e bastante cuidada. Para isso, basta que sejam consumidos determinados tipos de alimentos, como:

Abacate, azeite, nozes, castanhas, amêndoas, azeitonas, etc., porque apresentam as chamadas gorduras boas, as monoinsaturadas;

Salmão, cavala e sardinha, por serem peixes ricos em ómega 3 e também apresentarem gorduras boas, as polinsaturadas;

Carapau, pescada, dourada, corvina, robalo, etc., por serem peixes magros, com um baixo índice glicémico e uma carga quase nula de hidratos de carbono;

Perú e frango, também por serem carnes muito magras, com gorduras más quase inexistentes e muita proteína, essencial ao organismo;

Aveia, visto ter uma acção muito saciante e tornar bem mais lenta a absorção da glicose no sangue;

Legumes e fruta, essenciais numa dieta equilibrada, por serem munidos de muitas fibras e serem essenciais no processo digestivo e no bom funcionamento do trânsito intestinal. No entanto, apesar de sabermos que a fruta é importante na alimentação, alguma (como a banana ou as uvas) deve ser consumida com moderação, por já conter níveis de frutose (açúcar) um pouco elevados, e que, em excesso, podem agravar a situação.

Espero que a diabetes nunca faça parte da vossa vida, especialmente se for adquirida por maus hábitos. No entanto, caso estejam a passar por isto, não há nada que enganar: fazendo exercício físico de forma regular, bebendo muita água, cortando radicalmente nos açúcares, nos alimentos gordurosos e cheios de sal (especialmente os de pacote), bem como em todo o tipo de fast food e de refrigerantes, podem viver perfeitamente bem e de forma saudável, apesar da existência da doença. No fundo, basta que estejam focados em combatê-la.

Querer é poder, nunca se esqueçam!

1 beijinho

Benefícios de comer frutos secos

 shutterstock_116210527

Meus queridos,

Estão todos bem? Espero que sim!

Como já vos disse na publicação anterior, é preciso seguir certos hábitos para conseguirem adoptar uma alimentação saudável. Mas, se já os seguem, convém agora irem um pouco mais além e aprenderem certas coisas, que vos poderão ajudar muito no dia-a-dia. Por exemplo, devem saber que uma alimentação equilibrada privilegia o consumo do que é mais natural possível (peixe, carne, legumes, ovos e fruta), do que é biológico (que não leva químicos na plantação) e dos alimentos que têm as chamadas gorduras boas, como, por exemplo, o abacate, o salmão e os frutos secos.

E, hoje, as vítimas desta publicação são mesmo os frutos secos, alimentos que não dispenso na minha alimentação diária e que têm imensos benefícios à saúde, nomeadamente:

  • São compostos por gordura boa, ou a chamada gordura saudável, indispensável para o bom funcionamento do organismo;
  • Têm uma elevada carga de lípidos, entre 50 a 60%, ou seja, de gordura. No entanto, esta gordura é composta pelos ácidos gordos ómega 3 e ómega 6, que ajudam a prevenir as doenças cardiovasculares;
  • São munidos de vitamina E, que combate doenças do coração e a aterosclerose;
  • São uma óptima fonte de energia e saciam o apetite por muitas horas;
  • Ajudam a reduzir o colesterol total e o colesterol mau (LDL);
  • Previnem o envelhecimento precoce;
  • Controlam a tensão arterial e ajudam a fortalecer os ossos, visto que têm um bom teor de minerais;
  • São também ricos em fibras vegetais, que são as mais indicadas para o bom funcionamento dos intestinos.

 

Os imensos benefícios dos frutos secos são ainda muito desconhecidos. A realidade é que são vistos como alimentos caros, com uma grande carga de gordura e, consequentemente, potenciadores do aumento de peso. Mas, como tudo na vida, é preciso comê-los de forma moderada. E tanto faz mal comerem 1 quilo de frutos secos, como um quilo de carne de uma vez só, ou seja, a moderação é sempre a chave.

 

Eu confesso que como uma mão cheia de vários frutos secos por dia, quer sejam nozes, cajus, castanhas, amêndoas, figos secos, etc. Costumo guardá-los em vários frascos de vidro, devidamente identificados. E é verdade que têm um preço elevado, sim, mas vejam por este prisma: ao comerem só a dose recomendada por dia, e sendo que eles se conservam por muito tempo, têm frutos secos para o ano inteiro!

Eu adoro comer frutos secos! E vocês? 🙂

1 beijinho

8 hábitos que um personal trainer recomenda para serem mais saudáveis

 shutterstock_390547489

Meus queridos,

Pelo facto de trabalhar há 25 anos na área da saúde, tenho uma grande bagagem de conhecimentos. E, muito sinceramente, não os quero guardar só para mim, pelo contrário, quero partilhar com vocês, para que vos possa ajudar a superar as vossas dificuldades. Hoje, uma das mensagens que vos pretendo passar é a necessidade de se ter uma vida mais saudável e activa, sem vícios ou excessos. Para o conseguir fazer, vou indicar-vos 8 hábitos que um personal trainer e outros profissionais de saúde recomendam para terem um estilo de vida mais saudável.

 

1º hábito – Dormir bem e com horas certinhas

Deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer! Habituar o corpo e a cabeça a terem um horário de repouso e de despertar, a horas decentes, é uma das grandes recomendações para uma vida saudável. Convém, que nesse repouso, durmam o número mínimo de horas, entre 7 a 8, e que tenham uma noite tranquila e sem sobressaltos. Acordar cedo também ajuda o corpo a não cair no vício da moleza.

2º hábito – Evitar a inércia

Ora, o que não vale é acordar cedo e ficar em casa o dia inteiro a ver televisão! Mexam-se, sejam activos. Mesmo que estejam desempregados, vão dar um passeio, comprar o pão ou tomar um café. Não habituar o corpo à inércia é uma das principais recomendações que um personal trainer dá aos seus alunos.

3º hábito – Saber o que comer

Sim, a comida tinha que entrar nesta lista. Saber o que comer parece difícil, com tanta oferta nos supermercados. Mas tenham em atenção o seguinte: quantos mais alimentos maléficos metem à boca, mais o vosso corpo vos pede por eles, porque está viciado e habituado ao que é mau. E quais os alimentos nocivos na alimentação? Fácil: açúcar, conservas, fast food, bolos, doces, bolachas, refrigerantes, sumos com doses gigantes de açúcar, sumos concentrados, etc. Bem, uma vez por outra, até podem comer, mas fazer disto a vossa alimentação é que não é uma boa ideia!

4º hábito – Fazer exercício físico

Mais um que não podia faltar. O exercício físico é mesmo crucial para quem quer ter um estilo de vida saudável. Para além de vos fazer bem ao corpo, pois estão a exercitá-lo, faz bem também ao vosso organismo, devido ao facto de combater várias doenças. Podem fazê-lo num ginásio ou com um profissional especializado, como o personal trainer.

5º hábito – Ter momentos de lazer com os amigos

Certamente que ninguém deve ser feliz sem amigos. Nem eu sou e vocês também não o devem ser. E é perfeitamente normal termos a necessidade de relacionamento com outras pessoas. Para além de ser uma necessidade, é muito benéfico à saúde, pois provoca-nos alegria, divertimento e descontração. E tudo isso também faz parte.

6º hábito – Momentos a sós

E quem disse que terem momentos só vossos não era saudável? É e é muito. Estarem sozinhos a ver um filme, a caminhar, a praticar uma aula de pilates, a ler um livro, a ouvir música, etc., é muito relaxante. No fundo, estas actividades, ou hobbies, são essenciais na vida, dado que afastam o stress diário e trazem paz à nossa cabeça. 

7º hábito –  Dizer não aos vícios

Dizer não ao tabaco e ao álcool é meio caminho andado para se viver de forma mais saudável. Todos sabem que estes vícios podem destruir uma vida, de tão danosos que são ao organismo. Assim sendo, não caiam neles!

 8º hábito – Ser feliz e espalhar boa disposição

Nunca ouviram dizer que as más energias atraem-se? Eu acredito plenamente nisso e o personal trainer também. Sejam positivos na vida, sorriam, espalhem boa disposição à vossa volta e sejam felizes. O negativismo faz mal e prejudica imenso a saúde mental, que também tem um peso enorme na vida de cada um.

Tanto eu, como o personal trainer, temos opiniões idênticas relativas a este assunto. Agora, gostaria de saber qual é a vossa! Já têm estes hábitos na vossa vida?

 

1 beijinho